(34) 2103-6100

Av. Santos Dumont, 2191 - Santa Maria - Uberaba-MG

Mitos e verdades sobre as varizes


image

Elas são doloridas, visualmente incovenientes e prejudicam a circulação do sangue. As varizes afetam mais de 50 % das mulheres, e podem ter causas distintas.

A convite do QUEM Inspira, o cirurgião vascular Dr. Caio Focássio lista os mitos e verdade que cercam as varizes -- e os tratamentos para combatê-las! Veja:

Cruzar as pernas pode causar varizes?

MITO - Cruzar as pernas não é o motivo pelo qual as varizes aparecem. De acordo com o médico, o fato de se passar muito tempo na mesma posição – em pé ou sentada - e principalmente ser sedentário é que contribui para o surgimento das varizes. “A pessoa que se movimenta pouco vai ter mais tendência ao aparecimento das varizes porque o retorno venoso se torna mais difícil. A panturrilha precisa ser estimulada e fortalecida para poder enviar o sangue de volta ao coração e, quando o indivíduo não se mexe, ela não contrai para colaborar com esse retorno venoso.”

Varizes são apenas um problema estético?

MITO - Muita gente negligencia as varizes achando que ela é apenas um problema de aparência e, na verdade, não é. As varizes prejudicam a qualidade de vida do indivíduo, é uma importante causa de afastamento laboral no Brasil e ainda é um dos fatores que aumenta o risco da trombose venosa profunda, que pode ser fatal.

Varizes coçam?

VERDADE - Sim, uma simples coceira pode ser sinal de propensão a varizes. Essas veias permanentemente dilatadas e tortuosas acabam surgindo por conta da dificuldade que o sangue encontra para retornar ao coração nos membros inferiores, causam desconforto e dor. “Os pacientes propensos a terem varizes podem sentir coceira na parte distal das pernas, em especial próximo aos tornozelos, porque os capilares sanguíneos acabam deixando passar hemácias para a pele, levando a reações desagradáveis. Outro problema comum também é surgir o eczema venoso, causado pelo mesmo motivo,que faz com que a pele fique seca, escamosa e com muita coceira”.

Anticoncepcionais aumentam os casos de varizes?

VERDADE - As mulheres que já possuem predisposição genética para as varizes aumentam sim as chances de desenvolver a doença quando fazem uso de relativos níveis de hormônios presentes nas pílulas anticoncepcionais.

Salto alto pode ocasionar varizes?

VERDADE - O uso contínuo e exagerado eles podem, sim, causar malefícios, como as varizes. Isso acontece pois com o uso do calçado, a panturrilha, que é como se fosse o “coração” da perna, importante para a circulação, acaba ficando encurtada. “Esse estado também faz com que a pisada não fique completa. Com isso, o sangue não consegue fluir bem e pode, assim, ocasionar as varizes”, finaliza o médico.

TRATAMENTOS

Mas calma! Existem tratamentos eficazes que podem diminuí-las e até mesmo combatê-las. Veja as sugestões do Dr. Caio:

LASER

É um procedimento minimamente invasivo que utiliza a energia térmica da luz para desidratar e inutilizar somente as veias que não funcionam. Esse tratamento é realizado preferencialmente nas veias mais superficiais. É indicado para pessoas que apresentam os “vasinhos” tortuosos salientes, com dor ao ficar muito tempo em pé, cansaço peso nas pernas ou outros sintomas que não melhoram com tratamento clínico. Deve haver indicações de que o fluxo de sangue realmente não flui corretamente, seja por meio de exames de imagem ou pela avaliação médica. Esse procedimento não deve ser realizado em gestantes e em pessoas que tiveram uma trombose recente (quando o sangue coagula dentro do vaso, o que leva a uma obstrução da passagem do sangue).

RADIOFREQUÊNCIA

Também é um procedimento minimamente invasivo, seguro e eficaz que permite o retorno breve às rotinas diárias. O método utiliza a energia da radiofrequência para aquecer a parede da veia (a cerca de 85 a 90ºC), através de um cateter e provoca o encolhimento das fibras e assim “fecham” o vaso. Feito com anestesia local, o paciente é colocado em posição deitada para inserção do cateter de radiofrequência na veia que é inserido habitualmente abaixo do joelho, no ponto em que a veia se encontra mais próximo da superfície cutânea. Para isso é feita uma pequena “picada” na pele através da qual se punciona a veia para introduzir o cateter. O objetivo é envolver completamente a veia, evitando assim afetar as estruturas cutâneas e nervosas.

ECOESCLEROTERAPIA

O tratamento escleroterápico visa a melhora da circulação local com consequente melhora estética dos vasinhos. É feito em consultório, quase indolor, feito através da aplicação de medicamentos esclerosantes nas veias alteradas, obstruindo assim o fluxo sanguíneo. Essas veias alteradas são consideradas doentes e portanto devem ser eliminadas já que não são necessárias para a circulação, já que o sangue busca veias mais saudáveis para percorrer. Ao obstruir os vasinhos vermelhos, o aspecto estético das pernas melhora. A escleroterapia é eficaz mas não deve ser feita quando os vasinhos estão conectados as veias varicosas, suas nutridoras.

SAFENECTOMIA

É a cirurgia convencional que envolve a retirada da veia. Portanto, são necessária incisões (cortes) na pele para que a safena seja removida. Os cortes para o tratamento da safena magna são realizados na virilha, onde a veia comunica-se com a veia femoral, e no tornozelo ou no joelho, dependendo de cada situação. Após a separação da safena da veia femoral e no tornozelo, é colocado um dispositivo dentro da veia, chamado de fleboextrator, desde a porção próxima ao pé até a virilha. Este dispositivo é então amarrado à safena em ambas extremidades, sendo tracionado e removido junto com a veia. Depois disso, é feita a suturação das incisões (fechamento com pontos) e são aplicados curativos e enfaixamento da perna tratada.


Fonte: https://revistaquem.globo.com/QUEM-Inspira/noticia/2018/02/mitos-e-verdades-sobre-temidas-varizes.html